30 frases de Ana Martins Marques para se deliciar com a poesia mineira

Um dos nomes mais fortes da atual poesia brasileira, Ana Martins Marques tem conquistado leitores pelo país à fora – em especial o público mais jovem. Nascida em 1977, em Belo Horizonte, a escritora mineira consegue alinhar uma prosa delicada e, ao mesmo tempo, profunda tratando de diversos assuntos. Leia essas frases de Ana Martins Marques e conheça mais da autora!

Frases de Ana Martins Marques para mergulhar no mundo da poeta

Vem. Escuta no meu peito o silêncio elementar dos metais.

Vem. Escuta no meu peito o silêncio elementar dos metais.

Nos cacos do espelho quebrado você se multiplica. Há um de você em cada canto repetido, em cada caco. Por que quebrá-lo seria azar?

Publicidade

A memória lê o dia de trás para frente.

Há dias em que sinto trabalharem em mim as confusões do relâmpago.

Há dias em que sinto trabalharem em mim as confusões do relâmpago.

O que nos aconteceu, o que não nos aconteceu têm o mesmo peso no poema.

Um dia vou aprender a partir, vou partir como quem fica. Um dia vou aprender a ficar, vou ficar como quem parte.

Nem sabíamos que já éramos felizes como pensávamos que seriamos.

Nem sabíamos que já éramos felizes como pensávamos que seriamos.

No centro do que me lembro ficou o amor não feito: o que não foi rói o que foi como a maresia.

Nunca estivemos juntos em uma fotografia. Era sempre eu, os olhos baixos, o sorriso desajeitado, ou tu, o olhar distante, quase antigo, sempre mais bonito do que és.

Publicidade
Ao me beijar esqueceu uma palavra em minha boca. Devo guardá-la embaixo da língua? Engoli-la como um comprimido a seco?

Ao me beijar esqueceu uma palavra em minha boca. Devo guardá-la embaixo da língua? Engoli-la como um comprimido a seco?

Ainda que não te fossem dedicadas todas as palavras nos livros pareciam escritas para você.

Agora deixa o livro, volta os olhos para a janela. A cidade, a rua, o chão, o corpo mais próximo, tuas próprias mãos: aí também se lê.

Cortar relações e depois voltar-se, verificar o que restou. Suporta. Remendo. Demorar-se sobre a cicatriz do corte.

Cortar relações e depois voltar-se, verificar o que restou. Suporta. Remendo. Demorar-se sobre a cicatriz do corte.

Publicidade

Amar profundamente, mas testar volta e meia se ainda dá pé.

Não podemos proteger com o corpo um outro corpo do envelhecimento, lançando-nos sobre a lembrança dele.

Tão cedo era tarde demais.

Tão cedo era tarde demais.

É dos solitários o amor.

Ainda é tarde para saber. Ainda há facas cruas demais para o corte. Ainda há música no intervalo entre as canções. Escuta: é música ainda. Ainda há cinzas por dizer.

É bom lembrar lembranças dos outros, como quem se oferece para carregar as compras de supermercado de outra pessoa.

É bom lembrar lembranças dos outros, como quem se oferece para carregar as compras de supermercado de outra pessoa.

Colecionamos objetos, mas não o espaço entre os objetos. Fotos, mas não o tempo entre as fotos. Selos, mas não viagens. Lepidópteros, mas não seu voo. Garrafas, mas não a memória da sede.

Publicidade

Tenho recolhido cacos. Tenho observado brevemente o seu formato, pensando que acontecer é irreversível, pensando em como é fácil destroçar.

Quem me dera fazer com o poema uma fogueira que ardesse só para ti.

Quem me dera fazer com o poema uma fogueira que ardesse só para ti.

Neste mesmo quarto, há muito tempo você me ensinou novamente a nudez e então chamamos isso de amor, mas era exagero.

Ó mar, eu também não sei onde começo.

É tarde, mas eu estou pronta se você estiver.

É tarde, mas eu estou pronta se você estiver.

Eu nunca fui tão feliz quanto quando fui infeliz ao seu lado.

O peso do mundo é leve, mas não há quem o carregue.

Fico aguardando uma hora exata que não vem.

Fico aguardando uma hora exata que não vem.

São três as palavras que não digo, três as formas de aflição.Todas as frases que calo, todas as viagens que evitei, todos os gestos suspensos amadurecem na espera seu extremo segredo.

É realmente ridículo que eu ainda pense tanto em você. O pensamento é estúpido como um síndico.

Impossível não se encantar pelas palavras da autora, não é mesmo? Se você gostou da poética contemporânea de Ana Martins Marques, então vai amar essas da poetisa portuguesa frases de Matilde Campilho!


 

Escrevo textos, leio uns livros e conto tudo para as minhas gatas. Formada em jornalismo pela UEL.

 

Gostou dessas frases? Compartilhe!