30 frases de Ferreira Gullar para relembrar a imensidão desse poeta

Ferreira Gullar, sob o pseudônimo de José Ribamar Ferreira, foi poeta, escritor, tradutor e teatrólogo. Um dos maiores autores brasileiros, foi fundador do neoconcretismo, movimento artístico brasileiro. Nasceu em 1930 e morreu no dia 4 de dezembro de 2020. Foi preso e exilado durante a ditadura militar em 1964, vivendo em exílio também na Argentina. Confira as frases de Ferreira Gullar e conheça mais sobre esse escritor extraordinário.

30 frases de Ferreira Gullar para refletir sobre a vida e a nossa existência

Uma parte de mim é todo mundo; outra parte é ninguém: fundo sem fundo.

Uma parte de mim é todo mundo; outra parte é ninguém: fundo sem fundo.

Digo adeus à ilusão, mas não ao mundo.

Se acaso você não possa me carregar pela mão, menina branca de neve, me leve no coração.

Meu povo e meu poema crescem juntos como cresce no fruto a árvore nova.

Meu povo e meu poema crescem juntos como cresce no fruto a árvore nova.

Como dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena embora o pão seja caro e a liberdade, pequena.

A vida só consome o que a alimenta.

Porque nada do que foi feito satisfaz a vida, nada enche a vida. A vida é viver.

Porque nada do que foi feito satisfaz a vida, nada enche a vida. A vida é viver.

O que passou passou. Jamais acenderás de novo o lume do tempo que apagou.

Só cabe no poema o homem sem estômago a mulher de nuvens a fruta sem preço.

O poema, senhores, não fede, nem cheira.

O poema, senhores, não fede, nem cheira.

No mundo há muitas armadilhas e muitas bocas a te dizer que a vida é pouca, que a vida é louca.

Estou disperso nas coisas, nas pessoas, nas gavetas: de repente encontro ali partes de mim: risos, vértebras. Estou desfeito nas nuvens.

Sou como você, feito de coisas lembradas e esquecidas, rostos e
mãos.

Sou como você, feito de coisas lembradas e esquecidas, rostos e mãos.

Onde começo, onde acabo, se o que está fora está dentro como num círculo cuja periferia é o centro?

Extraviei-me no tempo. Onde estarão meus pedaços? Muito se foi com os amigos que já não ouvem nem falam.

A arte existe porque a vida não basta.

A arte existe porque a vida não basta.

Amo a vida que é cheia de crianças, de flores e mulheres, a vida, esse direito de estar no mundo, ter dois pés e mãos, uma cara e a fome de tudo, a esperança.

A poesia ri. Baixa-se uma portaria: é proibido misturar o poema com Ipanema. O poeta depõe no inquérito: Meu poema é puro, flor sem haste, juro! Não tem passado nem futuro. Não sabe a fel nem sabe a mel: É de papel.

Quero ser mulher, vejo-me menina.

Quero ser mulher, vejo-me menina.

Porque nada do que foi feito satisfaz a vida, nada enche a vida. A vida é viver!

Em face da imprevisibilidade da vida, inventamos Deus, que nos protege da bala perdida.

Não quero saber do sofrimento, quero é felicidade.

Não quero saber do sofrimento, quero é felicidade.

Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba.

Mas essa é a natureza do amor, comparável à do vento: fluido e arrasador.

O poeta se torna mudo sem as palavras reais.

O poeta se torna mudo sem as palavras reais.

Uma parte de mim é só vertigem: outra parte, linguagem.

Somos todos irmãos, não porque dividamos o mesmo teto e a mesma mesa: divisamos a mesma espada sobre nossa cabeça.

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte, delira...

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte, delira...

De noite, como a luz é pouca, a gente tem impressão de que o tempo não passa ou pelo menos não escorre.

Aqui me tenho como não me conheço nem me quis, sem começo nem fim. Aqui me tenho sem mim, nada lembro, nem sei.

A poesia brasileira é um dos campos mais belos e únicos de arte. Confira também as frases de Carlos Drummond de Andrade e emocione-se com esse poeta que até hoje nos impressiona.


Frases selecionadas por Beatriz Oliveira.

Gostou dessas frases? Compartilhe!