60 frases de Adélia Prado para quem é apaixonado por literatura

Uma das poetistas brasileiras mais amadas de todos os tempos, Adélia Luzia Prado de Freitas é também professora, filósofa e contista brasileira ligada ao Modernismo. Com vocabulário simples e linguagem coloquial, Adélia produz poemas leves e marcantes e que retratam o cotidiano. Mergulhe nas palavras dessa escritora espetacular com essas frases de Adélia Prado lindas e supermarcantes.

Frases de Adélia Prado que refletem bem a escrita dessa grande autora brasileira

Quem carrega o mar nos seus limites tem carinho com o mar.

Quem carrega o mar nos seus limites tem carinho com o mar.

Mulher é desdobrável. Eu sou.

Publicidade

Minha tristeza não tem pedigree, já a minha vontade de alegria, sua raiz vai ao meu mil avô.

Há sempre uma razão, embora não haja nenhuma explicação.

Há sempre uma razão, embora não haja nenhuma explicação.

Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.

Meu coração vai desdobrando os panos, se alargando aquecido, dando a volta ao mundo, estalando os dedos pra pessoa e bicho.

Com perdão da palavra, quero cair na vida.

Com perdão da palavra, quero cair na vida.

Eu mesma não entendo minha enormíssima paciência de ficar à toa, só pensando, pensando e sentindo.

Eu acho que Deus é uma projeção humana, é um desejo infinito que nós temos de adoração, e de algo que nos suspende com o sentido absoluto.

Publicidade
O que a memória ama, fica eterno. Te amo com a memória, imperecível.

O que a memória ama, fica eterno. Te amo com a memória, imperecível.

Fui dormir umas vezes tão feliz, que, se soubesse minha força, levitava. Em outras, tanta foi a tristeza que fiz versos.

O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver, porque sonho não morre.

Divago, quando o que quero é só dizer te amo.

Divago, quando o que quero é só dizer te amo.

Dor não tem nada a ver com amargura. Acho que tudo que acontece é feito pra gente aprender cada vez mais, é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. Cada dia mais rica de humanidade.

Me dão mingaus, caldos quentes, me dão prudentes conselhos, eu quero é a ponta sedosa do teu bigode atrevido, a tua boca de brasa.

As línguas são imperfeitas para que os poemas existam.

As línguas são imperfeitas para que os poemas existam.

Uma ocasião, meu pai pintou a casa toda de alaranjado brilhante. Por muito tempo moramos numa casa, como ele mesmo dizia, constantemente amanhecendo.

A beleza é um dos valores mais consoladores que existem.

Publicidade
Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota.

Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota.

A gente tem sede de infinito e de permanência, então, esse ser que assegura a permanência das coisas, é que eu chamo de Deus. É o absoluto.

Só melhoro quando chove.

Estou no começo do meu desespero, e só vejo dois caminhos: ou viro doida, ou santa.

Estou no começo do meu desespero, e só vejo dois caminhos: ou viro doida, ou santa.

Assim que escurecer vou namorar. Que mundo ordenado e bom! Namorar quem? Minha alma nasceu desposada com um marido invisível.

Eu quero depois, quando viver de novo, a ressurreição e a vida escamoteando o tempo dividido, eu quero o tempo inteiro.

Se pudesse, hoje, varria, isso mesmo, varria as pessoas todas com vassoura, como se fossem ciscos.

Se pudesse, hoje, varria, isso mesmo, varria as pessoas todas com vassoura, como se fossem ciscos.

A borboleta pousada ou é Deus ou é nada.

Carl Jung dizia que devolvia seus pacientes para sua religião de origem: a semente da nossa vida simbólica.

Quanto a mim, dou graças pelo que agora sei e, mais que perdoo, eu amo.

Quanto a mim, dou graças pelo que agora sei e, mais que perdoo, eu amo.

Eu não dou conta de aguentar minha velhice se eu não tiver uma fé.

Ideal eu tenho de amar como quem diz coisas: quero é dormir com você, alisar seu cabelo, espremer de suas costas as montanhas pequenininhas de matéria branca. Por hora dou é grito e susto. Pouca gente gosta. Pouca gente gosta.

Como vou querer paz no mundo com uma guerra no coração?

Como vou querer paz no mundo com uma guerra no coração?

O amor me fere é debaixo do braço, de um vão entre as costelas, atinge o meu coração é por esta via inclinada.

O amor usa o correio, o correio trapaceia, a carta não chega, o amor fica sem saber se é ou não é.

Deus de vez em quando me tira a poesia e eu olho pedras e vejo pedras mesmo.

Deus de vez em quando me tira a poesia e eu olho pedras e vejo pedras mesmo.

Sofro por causa do meu espírito de colecionador-arqueólogo. Quero pôr o bonito numa caixa com chave para abrir de vez em quando e olhar.

Quanto mais você descobre, mais o universo se alarga. Isso é Deus.

Deus é mais belo que eu. E não é jovem. Isto sim, é consolo.

Deus é mais belo que eu. E não é jovem. Isto sim, é consolo.

Quero você na minha frente, estático, e eu para todo o sempre olhando, olhando, olhando.

Me consola, moço. Fala uma frase, feita com o meu nome, para que ardam os crisântemos e eu tenha um feliz Natal!

A coisa mais fina do mundo é o sentimento.

A coisa mais fina do mundo é o sentimento.

A vida é muito bonita, basta um beijo e a delicada engrenagem movimenta-se, uma necessidade cósmica nos protege.

Então eu virei pra ela e falei assim: ah, nada, boba, também é assim, se der, bem, se não der, amém, toca pra frente.

Meu Deus, me dá cinco anos, me dá a mão, me cura de ser grande.

Meu Deus, me dá cinco anos, me dá a mão, me cura de ser grande.

Hoje, temos a ideologia da juventude perpétua, que passa por remédios, ginásticas, plásticas e pelo desespero final, porque nada responde à nossa profunda fome humana, que é de ordem espiritual.

Aqui se passa fome, aqui se odeia, aqui se é feliz, no meio de invenções miraculosas.

Tudo isso que nós cremos e nos faz felizes, se trata de mistério.

Tudo isso que nós cremos e nos faz felizes, se trata de mistério.

As coisas tristíssimas vão desaparecer quando soar a trombeta. Levantaremos como deuses, com a beleza das coisas que nunca pecaram, como árvores, como pedras, exatos e dignos de amor.

Amor pra mim é ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal, como ele mesmo.

As coisas mais corriqueiras nos dominam. Isso não pode!

As coisas mais corriqueiras nos dominam. Isso não pode!

Ama e nem sabe mais o que ama.

Eu quero depois, quando viver de novo, a ressurreição e a vida escamoteando o tempo dividido, eu quero o tempo inteiro.

Era raiva não. Era marca de dor.

Era raiva não. Era marca de dor.

A vida cotidiana já é heroica e nós temos que aceitar. Eu vou dar birra com Deus? Seja pobre, seja rico.

A gente prega sobre o amor, mas o amor é coisa que se vive na poeira. É no encardido da vida que a gente prova as coisas. Quem não quer enfrentar está perdendo o tesouro da vida, porque é ali que sou provado.

Não me falou em amor. Essa palavra de luxo.

Não me falou em amor. Essa palavra de luxo.

O que pude oferecer sem mácula foi meu choro por beleza ou cansaço, um dente exraizado, o preconceito favorável a todas as formas do barroco na música e o Rio de Janeiro que visitei uma vez e me deixou suspensa.

Às vezes acho que nasci na década errada. Tenho princípios que já se perderam e amo coisas que já não se dá mais valor.

Amor pra mim é ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal, como ele mesmo. Isso é o mais pleno amor.

Amor pra mim é ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal, como ele mesmo. Isso é o mais pleno amor.

Eu ponho o amor no pilão com cinza e grão de roxo e soco. Macero ele, faço dele cataplasma e ponho sobre a ferida.

Estamos padecendo de deficiência de atenção. Nós não olhamos para o outro.

Estamos padecendo de deficiência de atenção. Nós não olhamos para o outro.

Impossível não ficar encantado com tantas palavras simples, mas belíssimas ao mesmo tempo, não é mesmo? Conheça mais da literatura brasileira com essas frases de Carolina Maria de Jesus!


Frases selecionadas por Mariana Sanches.

Gostou dessas frases? Compartilhe!